Análise da cobertura de imprensa risco ambiental de Moçambique: o caso da Mozal Bypass e jornal “Notícias” e “O país”

Palabras clave: Moçambique, Mozal, Bypass, risco ambiental, imprensa, comunicacióin e meio ambiente, jornal “Notícias”, jornal “O País

Resumen

O artigo pretende verificar o tipo de cobertura feito pela imprensa moçambicana relativamente ao risco ambiental derivante da actividade da multinacional Mozal (Mozambique Alluminium). Esta empresa trabalhou sem filtros, durante 137 dias, entre 2010 e 2011, emitindo para o ar de forma directa os seus gases poluentes (“Bypass). A pesquisa visa perceber como os dois diários moçambicanos de maior difusão, “Notícias” e “O País”, abordaram tal questão. As técnicas usadas foram quantitativas (números de artigos publicados e das fontes usadas) e qualitativas (análise do conteúdo, com o auxílio de mapas semântico-conceituais), usando a teoria da Amplificação Social do Risco (SARF) A investigação mostrou que a cobertura foi orientada não tanto para esclarecer o efectivo risco ambiental derivante do Bypass junto às populações locais, quanto como alavanca polémica de tipo político, em favor ou contra as decisões tomadas pelo Governo.



Biografía del autor/a

Luca Bussotti, Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL Lisboa
Tem Doutoramento em Sociologia do Desenvolvimento (Universidade de Pisa, Itália). Foi Professor de Gestão e Política dos Recursos Humanos no Departamento de Ciências Sociais da Universidade de Pisa (2002-2006) e Visiting Professor na Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduarde Mondlane de Moçambique (2006-2011). Tem vários artigos em revistas científicas e livros sobre África Lusófona publicados na Itália, França, Brasil, Inglaterra. Colabora com a secção lusófona do CODESRIA (Dakar), onde coordenou, em 2010-2011, uma pesquisa comparativa sobre a cobertura das violações dos direitos humanos por parte do Estado pela imprensa dos PALOPs

Citas

BACON, F., Nova Atlantis, Utrecht, 1643, in http://www.hs-augsburg.de.

BECK, U., Risikogesellshaft, Suhrkamp,Frankfurt am Main, 1986.

BECK/GIDDENS/LASH, Reflexive Modernization, Standford University Press, Standford, 1994.

BOUGAULT, L.M., Mass media in Sub-Saharan Africa, Indiana University Press, Indiana, 1995.

CAO Compliance, Appraisal Report, 24/07/2012, CAO Ref. Code: C-1-R6- Y12-F160, 2012.

CASTELO-BRANCO, C.N., Economia extractiva e desafios da industrialização em Moçambique, em DE BRITO, L./CASTELOBRANCO, C.N./CHICHAVA, S./FRANCISCO,

A., Economia extractiva e desafios da industrialização em Moçambique, IESE, Maputo, 2010.

DOUGLAS, M., Risk and Blame, Routledge, London-New York, 1992.

European Investment Bank (EIB), Mozal Project, Maputo, Mozambique, Complaint SG/E/2010/16, Conclusions Report, April 2012.

FARUK OSMAN, A., Africa, in IFJ, The Last Dispatch, Druck, Hoeilaart, 2012.

FAUVET, P., MOSSE, M., É Proibido Pôr Algemas nas Palavras, Ndjira, Maputo, 2003.

GIDDENS, A., The Consequences of Modernity, Polity Press, Cambridge, 1992.

FARUK OSMAN, A., Africa, in IFJ, The Last Dispatch, Druck, Hoeilaart, 2012.

FAUVET, P., MOSSE, M., É Proibido Pôr Algemas nas Palavras, Ndjira, Maputo, 2003.

GIDDENS, A., The Consequences of Modernity, Polity Press, Cambridge, 1992.

INE (Instituto Nacional de Estatística) (2005), Anuário Estatístico, Artes Gráficas, Maputo.

KASPERSON/RENN/SLOVIC et alii, The Social Amplification of Risk: A Conceptual Framework, “Risk Analysis”, vol. 8, No. 2,

, pp. 177-187.

KASPERSON/KASPERSON/PIDGEON/SLOVIC (Eds.), The Social Amplification of Risk, Cambridge University Press, Cambridge,2003.

LUHMANN, Risk. A Sociological Theory, Aldine, New York, 1993.

LUPTON, D., Risk, Taylor & Francis, Oxford,1999.

Publicado
2015-03-02
Cómo citar
Bussotti, L. (2015). Análise da cobertura de imprensa risco ambiental de Moçambique: o caso da Mozal Bypass e jornal “Notícias” e “O país”. Luciérnaga Comunicación, 5(10), 15-27. Recuperado a partir de https://revistas.elpoli.edu.co/index.php/luc/article/view/307
Sección
Artículos

Métricas de Artículo

Resumen : 481   PDF : 85